Nordeste Forte tem novo comando

← Voltar para as notícias

23/02/2021   08h51

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), Ricardo Cavalcante, tomou posse nesta segunda-feira (22) como presidente da Associação Nordeste Forte. Eleito por aclamação em outubro do último ano, o novo presidente firmou o compromisso de trabalhar, no biênio 2021/2022, com foco em melhorar a competitividade das indústrias da região.

 

 

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, enfatizou que a cooperação entre as federações em prol de pleitos comuns ajuda no desenvolvimento do Brasil na medida em que reforça as demandas da região junto ao Congresso Nacional e governo federal.

O novo presidente da Nordeste Forte destacou a contribuição que a região tem dado e pode dar ainda mais para o desenvolvimento sustentável do país.

 


“Temos um povo extremamente criativo e trabalhador, recursos naturais abundantes. Precisamos combater as legislações que comprometem o desenvolvimento da nossa região”, comentou Cavalcante.


 

Ele reconheceu os avanços na melhoria da infraestrutura portuária e aeroportuária nordestina. “Mas a região carece ainda de resolver o conjunto de gargalos burocráticos que pesam no custo Brasil”, completou.

Apesar de abrigar 27% população, o Nordeste representa 13,5% do PIB brasileiro. Em termos de energia renovável, no entanto, a região responde por 88% de toda a potência instalada eólica e solar do Brasil.

 

“Estamos de olho no futuro, temos compromisso com a sustentabilidade, estamos investindo no hidrogênio verde. Temos potencial de nos tornar uma potência global e temos trabalhando para isso”, comentou o presidente da FIEC. Recentemente foram anunciados R$ 5,4 bilhões de investimentos numa planta de hidrogênio verde na região.

Além de Ricardo Cavalcante, também tomaram posse Eduardo Prado, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES), como vice-presidente financeiro da Associação; e José Carlos Lyra, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (FIEA), como vice-presidente secretário da Associação.

 

Representantes do Ministério Público Federal e do governo federal prestigiam evento

 

A posse foi prestigiada pelo secretário de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Da Costa, pelo procurador-Geral da República, Augusto Aras, e pelo deputado federal João Roma, que tomará posse como ministro da Cidadania nesta semana. Aras e Carlos Da Costa ressaltaram a importância da indústria para o desenvolvimento socioeconômico do Brasil.

 

“O governo trabalha para criar um ambiente favorável à iniciativa privada. Queremos a parceria com o setor produtivo tão bem representado pela CNI”, comentou Carlos da Costa. O secretário reforçou a importância entre o governo o o Sistema S, dos programas Brasil Mais e de vouchers para garantir qualificação aos trabalhadores.

 

Augusto Aras complementou enfatizando que cabe ao Ministério Público trabalhar para garantir a segurança jurídica fundamental para atrair e reter investimentos.

 

“É dever do MP defender o mercado interno como patrimônio nacional, trabalhar pelo desenvolvimento econômico e social do Brasil, pela qualidade de vida do brasileiro e pela segurança jurídica. A orientação é de pautar a atuação por uma postura menos punitiva e mais preventiva”, afirmou Aras.

 

Para o presidente da CNI, a atuação da Nordeste Forte dá mais peso às demandas da região e, com isso, contribui efetivamente para o país crescer.

 

 


“Muitas vezes as necessidades de um estado passam pelas necessidades de outro. A ação integrada fortalece todo o sistema industrial da região”, disse.


 

Gestão de Amaro Sales é marcada por avanços importantes

 

Presidentes das federações de indústria da região reconhecem legado deixado pelo ex-presidente da Nordeste Forte, Amaro Sales de Araújo, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (FIERN).

 

Entre as principais realizações de sua gestão à frente da entidade destaca-se a elaboração, aprovação e edição das Medidas Provisórias nº 1.016 e 1.017, pelo presidente da República, em dezembro de 2020, sobre a renegociação das dívidas dos Fundos Constitucionais, que vão beneficiar milhares de empresa, pequena, média e grande, com a possibilidade de gerar novos empregos e renda para o país.

Na área de infraestrutura hídrica, a associação contribuiu com ações para tornar realidade a transposição do Rio São Francisco, com participação em reuniões com autoridades da área, apresentação de pleitos junto aos Ministérios da Economia e de Desenvolvimento Regional e à Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA).

 

Amaro participou, inclusive, do lançamento da última etapa da transposição do São Francisco, o ramal Apodi/Salgado, em outubro de 2020, com conclusão para 2026, beneficiando os estados da Paraíba, do Rio Grande do Norte e do Ceará.

 


“O Nordeste sempre foi colocado como uma região de pires na mão. Hoje a realidade mudou. Somos autossuficientes em energias renováveis, damos um importante contribuição na produção de alimentos para abastecer o país e temos crescido numa média maior que a registrada pelo país”, afirmou.


Associação Nordeste Forte trabalha com foco em aumentar a competitividade da indústria

 

Criada com o objetivo aumentar a competitividade e fomentar desenvolvimento socioeconômico da região, a Nordeste Forte reúne as nove Federações das Indústrias do Nordeste e conta com o apoio da CNI. Desde novembro de 2016 a entidade trabalha para reduzir as desigualdades regionais e encontrar soluções que melhorem o ambiente de negócios para o setor produtivo nordestino.

 

Fonte: CNI