Nordeste Forte tem contas aprovadas sem ressalvas e elege nova diretoria com mandato até 2023

← Voltar para as notícias

15/01/2021   14h08

O atual presidente da FIERN e da Associação Nordeste Forte, Amaro Sales de Araújo agradeceu aos demais presidente das federações pelo apoio desde a constituição da associação até o presente momento, nos trabalhos e ações desenvolvidas pela Nordeste Forte; e o presidente eleito, José Ricardo Montenegro Cavalcante reafirmou a importância dos debates e discussões de temas industriais encaminhados pela associação, em reunião em Brasília, nesta terça-feira, 20, quando foi realiza a eleição da nova diretoria da entidade e , sem ressalvas, da prestação de contas da instituição que contou com participação de todas as federações de indústrias do Nordeste. “Solicito a união de todos para focar na solução dos problemas comuns em nossa região e parabenizo a atual gestão pelo trabalho e conquistas alcançadas”, diz o presidente.

 

 

A diretoria eleita tem como presidente, José Ricardo Montenegro Cavalcante, Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), vice-presidente secretário, José Carlos Lyra de Andrade, Federação das Indústria do Estado de Alagoas (FIEA), vice-presidente tesoureiro, Eduardo Prado de Oliveira, Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e demais vice-presidentes titulares das federações: Amaro Sales de Araújo (FIERN), Antonio José de Morais Souza Filho (FIEPI), Antônio Ricardo Alvarez Alban (FIEP), Edilson Baldez das Neves (FIEMA), Francisco de Assis Benevides Gadelha (FIEPB) e Ricardo Essinger (FIEPE).

 

 

O mandato da diretoria eleita vai da data da posse, prevista para primeiro de março de 2021 até fevereiro de 2023.

 

Reunião Ordinária

 

Hoje também foi realizada a 26ª Reunião Ordinária da Nordeste Forte. Na pauta aprovação das atas de reuniões anteriores e comunicações da Proposta de calendário de reuniões para 2021; e apresentação sobre Ações, Encaminhamentos e Resultados – MDR, SUDENE, BNB e Nordeste Forte, por Isabel Mendes e Rogério de Castro, da Gerência de Economia da CNI e COEX/CNI.

 

 

Por Jô Lopes – Unicom FIERN